‘Virada página negra da história deste país’

‘O Brasil passa por momentos delicados em que as práticas do governo afastado, além de terem sido repudiadas pela sociedade, obtiveram a punição prevista no nosso ordenamento constitucional’. LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA

NOTA À IMPRENSA

Com relação à decisão do Senado Federal, que confirmou o impedimento da agora ex-presidente da República, Dilma Rousseff, tenho a declarar o que se segue:

Como protagonista do processo, tendo praticado o primeiro ato da aceitação da denúncia oferecida por crime de responsabilidade contra a ex-presidente, vejo que todos os meus atos foram confirmados por sucessivas votações, tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado Federal, atestando a lisura dos meus atos.

Lamento que uma democracia jovem como a nossa tenha que passar pelo trauma de mais um afastamento de um presidente da República, desta vez por prática de crime de responsabilidade devidamente julgado pelo Senado Federal.

As tentativas da ex-presidente e de sua defesa, através de afirmações falsas de atribuir a mim qualquer culpa no processo, visa a esconder o fato de que não houve razões suficientes da defesa para inocentá-la do crime de responsabilidade.

O Brasil passou, e passa, por momentos delicados em que as práticas do governo afastado, além de terem sido repudiadas pela sociedade, obtiveram, enfim, a punição prevista no nosso ordenamento constitucional.

Esperamos que o fim desse processo possa virar uma página negra da história deste país, com o afastamento também das nefastas práticas do governo afastado, e desejamos sucesso ao novo governo que se instala a partir de hoje, de forma definitiva.

EDUARDO CUNHA